IoT Surfboard

A notícia da semana foi o lançamento do crowdfunding de mais uma placa baseada em Arduino, voltada para a tão falada internet das coisas.

Se você frequentemente navega na internet, já deve ter escutado falar da IoT (Internet of Things), que também é conhecida como Internet das Coisas. O conceito é simples: conectar tudo (e todos) à rede, de forma que possamos monitorar e até mesmo controlar dispositivos remotamente, ou mesmo implementar um controle inteligente das coisas que possuímos.

Pensando no constante crescimento do interesse das pessoas por estas possibilidades, é que o Vinícius Senger, fundador da Globalcode (sim, a mesma Globalcode do TDC – The Delevoper’s Conference), que é um grande apaixonado por tecnologia, pensou em fazer uma placa que permita aos interessados aprender mais sobre como capturar, tratar e mostrar para o usuário, os sinais que estão disponíveis por aí, no meio ambiente.  Com a colaboração do site Embarcados, através da sua subdivisão Embarcados Inovation, grande fonte de conhecimento para entusiastas e profissionais, a placa foi idealizada e está em processo de fundação através do Catarse.

Intel Edison + Intel Galileo + Raspberry Pi + WIFI + ZigBee + Bluetooth + Real Sense + MQTT + IoT Surfboard

Lembro que a mais ou menos 2 anos atrás, eu vi uma apresentação do Vinícius Senger na Campus Party, onde ele mostrava o controle de um robô através de acordes de um violão. Dependendo da nota emitida, que era capturada pelo microfone do notebook, o robô andava para frente ou para trás e também parava. Se não me falha a memória, o Vinícius disse ter usado para realizar este tipo de controle, a transformada de Fourier, artifício que ele também utilizou na tentativa de controlar o seu barco usando arduino e bluetooth. Lembro que ele havia dito também, que de todos os controles, o mais complexo de fazer até o momento teria sido deixar o barco andando em linha reta, pois havia de detectar e compensar em tempo real a agitação do mar.

De acordo com um dos vídeos veiculados pelo Facebook, a ideia dessa placa tão completa surgiu daí. Na verdade, uma outra versão, menos robusta, já havia sido inventada pelo Vinícius através do seu projeto paralelo, conhecido como Elétron Livre. A placa chama-se Program-Me. Até onde sei, esta placa era largamente utilizada nos workshops e treinamentos ofertados pela Globalcode, que aconteciam normalmente nos finais de semana. Era uma placa mais simples, mas que tinha uma porção de funções interessantes.

IoT Surfboard

E ideia é muito boa, como na própria descrição do projeto no Catarse diz, esta placa não é voltada apenas para iniciantes. Ela possui alguns diferenciais que podem ser usados e explorados mesmo por quem já possui experiência na área de desenvolvimento.

Pra quem já brinca um pouco com Arduino e suas variações, bem como outras placas single board, ter uma placa tudo em um no primeiro momento pode não chamar a atenção tanto assim. Ora, pra que eu vou querer ter vários sensores integrados, sendo que dificilmente eu usarei todos eles de uma única vez, em um único local? A diferença aqui é que a implementação da Internet das Coisas poderá demandar de uma “central de controle”, que integrará os diversos sensores espalhados pelo local, bem como centralizar o recebimento e envio de informações. Nesse ponto, ter uma placa robusta que possui diversas formas de se comunicar com o usuário (e até quem sabe, alguma forma de redundância para evitar falhas) pode ser muito útil.

Veja abaixo um dos vídeo de apresentação do projeto:

A IoT Surfboard é uma placa que agrega mais de 20 componentes entre sensores e controladores que facilitam a criação de soluções para Internet das Coisas. Com ela você pode construir seu bafômetro, controlar motores, ligar e desligar um eletrodoméstico, usar infra-vermelho e ainda integrar com seu computador, seja ele um laptop ou um single-board computer como, RaspberryPi, Intel Galileo ou Edison, Concept Board, PCDuino, Beagle Bone Black ou qualquer outra plataforma.

Concluindo, provavelmente esta placa não vá ter um custo final muito baixo. Levando em consideração a quantidade de componentes e possibilidades, mas principalmente, porque estamos no Brasil. É mais uma alternativa para quem quer entrar de cabeça nessa nova era de automação das coisas, e não saberia quais componentes, shields e módulos adquirir inicialmente. Com uma placa dessas, você já pode controlar via rede uma porção de dispositivos, bem como monitorar outras tantas coisas.

Com o lançamento desta placa (a qual espero que seja fundada, pois vai ser interessante ter mais um brinquedo na coleção), podemos notar que já aparecem mais formas de empreender no mercado da IoT. Existirão os usuários, existirão aqueles que usarão tais plataformas para solucionar os mais diversos problemas e agora, existem aqueles que desenvolvem tecnologias (ou como neste caso agregam diversas tecnologias) com o objetivo de fornecer aos makers e pensadores maneiras mais simples e completas de solucionar tais problemas.

Como mostrado no vídeo acima, existe toda uma expectativa em torno do crescimento da IoT, e é algo que com certeza revolucionará a maneira como interagimos com o mundo e o ambiente em que vivemos. É só esperar.

Esta foi mais uma postagem para a célula de hardware da FronteiraTec. Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das novidades!

Fonte de imagens e vídeo: Twitter Vinícius Senger, página da IoT Surfboard no Catarse e Youtube.

Comments Are Closed